segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Sp. Braga 2004-2005


Num campeonato marcado pela irregularidade dos três grandes, quem aproveitou foi o Sp. Braga que a determinada altura se viu incluído numa emocionante corrida  a quatro na disputa pelo título. Os arsenalistas terminaram o campeonato no 4º lugar, não muito longe do trio da frente, cimentando assim o projecto de um Braga europeu, iniciado com o Prof. Jesualdo Ferreira na época anterior.


Equipa-Tipo

Paulo Santos
Abel
Nunes
Nem
Jorge Luís
Luís Loureiro
Vandinho
João Alves
Jaime
Wender
João Tomás

Treinador - Jesualdo Ferreira


Resumo:

4º Lugar - Superliga GalpEnergia 2004-2005

Vitórias - 16
Empates - 10
Derrotas - 8

Golos Marcados - 45
Golos Sofridos - 28

sábado, 23 de novembro de 2013

Previsões para a 10ª jornada da Liga Zon Sagres


P. Ferreira vs Belenenses - 1
V. Guimarães vs Sporting - 2
Benfica vs Sp. Braga - 1
V. Setúbal vs Arouca - 2
Olhanense vs Académica - X
Rio Ave vs Estoril - X
FC Porto vs Nacional - 1
Marítimo vs Gil Vicente -


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

V. Guimarães 1999-2000


Candidato habitual às competições europeias, o V. Guimarães andou quase sempre nos lugares pretendidos (4º lugar), mas acabou por vacilar na parte final da prova, numa fase desastrosa para os vimaranenses (2 pontos em 8 jogos). Face à boa forma que a equipa minhota chegou a mostrar durante o campeonato, o sétimo lugar obtido e consequente falhanço europeu foi bastante decepcionante.
Quinito, envolvido em desentendimentos com o presidente vimaranense Pimenta Machado, acabou por abandonar o comando técnico ainda antes do fim do campeonato, terminando assim o seu ciclo no clube minhoto.


Equipa-Tipo

Pedro Espinha
Evaldo
Márcio Theodoro
Fernando Meira
Tito
Paiva
Soderstrom
Nandinho
Riva
Edmilson
Brandão

Treinadores - Quinito (Até à 31ª jornada) / António Valença


Resumo:

7º Lugar - I Liga 1999-2000

Vitórias - 14
Empates - 6
Derrotas - 14

Golos Marcados - 48
Golos Sofridos - 43


segunda-feira, 4 de novembro de 2013

FC Porto 1997-1998


Foi praticamente sem oposição que o FC Porto conquistou o Tetra-Campeonato pela primeira vez na sua história, igualando o feito do Sporting nos anos 50. Os portistas alcançaram o 1º lugar logo à segunda jornada, para não mais o largar. No final da primeira volta já se percebia que os principais adversários Benfica e Sporting, ambos em crise de resultados, não tinham argumentos para contrariar os tri-campeões nacionais e era mesmo o V. Guimarães que estava mais próximo, a 11 pontos de distância. A campanha na Liga dos Campeões foi decepcionante, com apenas uma vitória na fase de grupos, deixando os portistas no último lugar do grupo D atrás de Real Madrid, Rosenborg e Olympiakos.
Sérgio Conceição, jogando desta vez em zonas mais adiantadas do terreno, realizou uma grande época, a qual lhe valeu a transferência para a Lazio. O brasileiro Jardel sagrou-se pela 2ª vez consecutiva o melhor marcador da I divisão com 26 golos.
Foi também o ano de mais uma "dobradinha" depois da vitória no Jamor frente ao Sp. Braga por 3-1. A época ficou contudo marcada por polémicas internas envolvendo António Oliveira e alguns jogadores, levando à saída do treinador, que se sagrou bi-campeão nacional pelos portistas, no final da época.

Equipa-Tipo

Rui Correira
Secretário
Aloísio
João M. Pinto
Fernando Mendes
Paulinho Santos
Sérgio Conceição
Zahovic
Capucho
Drulovic
Jardel

Treinador - António Oliveira


Resumo:

1º Lugar - I Divisão 1997-1998

Vitórias - 24
Empates - 5
Derrotas - 5

Golos Marcados - 75
Golos Sofridos - 38




sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Previsões para a 9ª Jornada da Liga Zon Sagres


Arouca vs P. Ferreira - 2
Académica vs Benfica - 2
Nacional vs Olhanense - 1
Belenenses vs FC Porto - X
Sporting vs Marítimo - 1
Sp. Braga vs Rio Ave - 1
Estoril vs V. Setúbal - X
Gil Vicente vs V. Guimarães - X


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Olhanense 2009-2010


Trinta e quatro anos depois, o Sporting Clube Olhanense voltava a competir na divisão principal do futebol português. O Algarve voltava assim a ter um representante primodivisionário, depois da descida de divisão do Farense em 2001-2002.
Apesar de contarem com vários jogadores talentosos como os jovens Castro e Ukra, e de jogarem um futebol agradável, os algarvios tinham imensas dificuldades em ganhar jogos. O campeonato acabou por ser sofrido para a equipa treinada por Jorge Costa, que garantiu a manutenção apenas na penúltima jornada da prova. Decisivo foi o papel do experiente avançado brasileiro Djalmir, que facturou 12 golos nas 17 partidas que jogou.


Equipa-Tipo

Ventura
Miguel Garcia
Tengarrinha
Sandro
Carlos Fernandes
Rui Baião
Rui Duarte
Castro
Paulo Sérgio
Ukra
Djalmir

Treinador - Jorge Costa


Resumo:

13º Lugar - Liga Sagres 2009-2010

Vitórias - 5
Empates - 14
Derrotas - 11

Golos Marcados - 31
Golos Sofridos - 46


segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Salgueiros 1996-1997


Estádio de S. Luís em Faro, última jornada do campeonato. O salgueirista Abílio desperdiça um penálti no último minuto de jogo, permanecendo o empate 1-1 no final. Noutro jogo Sp. Braga e V. Guimarães empatavam a zero, o que impedia o Salgueiros de se qualificar para as competições europeias. Final dramático numa temporada sensacional da equipa de Paranhos, que quase repetia o feito alcançado em 1990-91, quando se qualificou para a Taça UEFA.
Os sempre temidos contra-ataques do "Salgueiral" fizeram furor, sobretudo nas vitórias históricas na Antas (2-1) e na Luz (4-3). Esses dois jogos estiveram integrados num formidável ciclo de 8 vitórias em 9 jogos já na segunda volta. Em termos pontuais esta foi mesmo a melhor época de sempre do Salgueiros (52 pontos), naquele que se confirmou como o período "dourado" do clube portuense.


Equipa-Tipo

Jorge Silva
Chico Fonseca
Pedro Reis
Milovac
Zoran
Luís Manuel
Leão
Abílio
Luíz Carlos
Nandinho
Fernando Almeida

Treinador - Carlos Manuel


Resumo:

6º Lugar - I Divisão 1996-1997

Vitórias - 14
Empates - 10
Derrotas - 10

Golos Marcados - 49
Golos Sofridos - 48


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Previsões para a 8ª Jornada da Liga Zon Sagres


V. Setúbal vs Belenenses - X
P. Ferreira vs V. Guimarães - 2
Olhanense vs Arouca - X
Sp. Braga vs Académica - 1
Marítimo vs Estoril - 1
Benfica vs Nacional - 1
FC Porto vs Sporting - X
Rio Ave vs Gil Vicente - 1


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Benfica 1935-1936


Primeiro campeonato conquistado pelo Sport Lisboa e Benfica, prova na altura ainda denominada Campeonato da I Liga. Era apenas a 2ª edição daquela que é conhecida como a competição mais importante do futebol nacional. O Benfica era já um clube de reconhecido prestígio e em grande expansão na década de 30. Faziam parte da primeira equipa dos encarnados campeã nacional, algumas figuras que entraram para o quadro de honra da História das águias como Alfredo Valadas, Francisco Albino e sobretudo Vítor Silva, considerado um dos melhores jogadores de sempre do clube da Luz e do futebol português. A vinda do treinador húngaro Lipo Herzka foi bastante benéfica para o futebol benfiquista, ao qual incutiu o perfume do futebol magiar.
O Benfica sagrou-se campeão nacional com mais um ponto que o FC Porto, naquele que foi o primeiro de três campeonatos conquistados de seguida. No jogo de apuramento do campeão referente ao Campeonato de Lisboa, os encarnados perderam com o Sporting Clube de Portugal por 4-1.


Equipa Tipo

Cândido Tavares
Francisco Gatinho
Domingos Lopes
Gaspar Pinto
Gustavo Teixeira
Alfredo Valadas
Francisco Albino
Luís Xavier
Vítor Silva
Carlos Torres
Rogério de Sousa

Treinador - Lipo Herzka


Resumo:

1º Lugar - I Liga 1935-1936

Vitórias - 8
Empates - 5
Derrotas - 1

Golos Marcados - 44
Golos Sofridos - 23



segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Liga dos Campeões 1999-2000: Valência vs Lazio




1/4 de Final (1ª Mão) - 04/04/2000

Valência

Cañizares, Angloma, Pellegrino, Djukic, Carboni, Farinós, Gerard, Kily González, Claudio López, Angulo, Juan Sánchez (Óscar García, 82')

Treinador - Héctor Cúper


Lazio

Ballotta, Gottardi, Negro, Mihajlovic, Pancaro, Simeone (Salas, 75'), Almeyda, Stankovic (Sérgio Conceição, 62'), Verón, Nedved, Simone Inzaghi (Boksic, 68')

Treinador - Sven-Göran Eriksson


Golos: Angulo 1-0 (2'); Gerard 2-0 (4'); Simone Inzaghi 2-1 (28'); Gerard 3-1 (40'); Gerard 4-1 (76'); Salas 4-2 (87'); Claudio López 5-2 (90')





1/4 de Final (2ª Mão) - 18/04/2000

Lazio

Marchegiani, Negro, Nesta, Mihajlovic, Pancaro (Mancini, 76'), Almeyda (Simeone, 84'), Verón, Sérgio Conceição, Nedved (Simone Inzaghi, 46'), Boksic, Salas

Treinador - Sven-Göran Eriksson


Valência

Cañizares, Pellegrino, Björklund, Djukic, Angloma, Farinós, Gerard, Mendieta (Albelda, 60'), Kily Gonzalez, Angulo (Óscar García, 82'), Claudio López

Treinador - Héctor Cúper


Golos: Verón 1-0 (52')




sábado, 19 de outubro de 2013

Valência 1999-2000


Temporada inesquecível para um Valência que chegou a mostrar duas faces. No entanto, a imagem que fica é sempre a última, e neste caso foi tremenda. A equipa "ché" foi um dos conjuntos que mais impressionou tanto em Espanha como na Europa, começando a afirmar-se seriamente como um emblema de topo do futebol europeu.
Depois de conquistar a Supertaça de Espanha no início da época ao Barcelona (1-0 em casa; 3-3 em Camp Nou), o Valência começou o campeonato de forma horrível com quatro derrotas no primeiros quatro jogos. Na Liga dos Campeões, competição onde se estreava, o Valência terminou no 1º lugar do seu grupo (1ª Fase de Grupos). Mas nas competições internas, os valencianos continuavam irregulares, e foram eliminados logo na 1ª eliminatória da Copa do Rei frente ao Osasuna da 2ª Liga. A melhor face da equipa treinada pelo argentino Hector Cúper, que chegou a ser bastante contestado, surgiu na segunda fase da época ficando para a história exibições categóricas na Champions, como aquelas frente à Lazio e ao Barcelona, que permitiram ao clube atingir pela primeira vez na sua história a final. No Stade de France frente ao Real Madrid, que teve um ano atípico, os valencianos sucumbiram por 3-0.
Numa ponta final em grande forma os "ché" ainda arrebataram o 3º lugar no campeonato espanhol, depois de uma vitória sobre o Zaragoza na derradeira jornada. Individualmente destacaram-se as fantásticas prestações de jovens como Farinós ou Gerard, e sobretudo do basco Gaizka Mendieta, o motor da equipa e um dos melhores jogadores espanhóis na altura.


Equipo-Tipo:

Cañizares
Angloma
Pellegrino
Djukic
Carboni
Farinós
Gerard
Mendieta
Kily González
Juan Sánchez
Cláudio López

Treinador - Héctor Cúper


Resumo:

3º Lugar - Liga Espanhola 1999-2000

Vitórias - 18
Empates - 10
Derrotas - 10

Golos Marcados - 59
Golos sofridos - 39


Percurso até à Final da Liga dos Campeões:

1ª Fase de Grupos (Grupo F)

Valência 2-0 Glasgow Rangers
PSV Eindhoven 1-1 Valência
Bayern Munique 1-1 Valência
Valência 1-1 Bayern Munique
Glasgow Rangers 1-2 Valência
Valência 1-0 PSV Eindhoven

2ª Fase de Grupos (Grupo B)

Valência 3-0 Bordéus
Manchester Utd 3-0 Valência
Fiorentina 1-0 Valência
Valência 2-0 Fiorentina
Bordéus 1-4 Valência
Valência 0-0 Manchester Utd

1/4 de Final 

1ª Mão - Valência 5-2 Lazio
2ª Mão - Lazio 1-0 Valência

1/2 Finais

1ª Mão - Valência 4-1 Barcelona
2ª Mão - Barcelona 2-1 Valência

FINAL - Real Madrid 3-0 Valência




domingo, 13 de outubro de 2013

FC Porto 1984-1985


Era a estreia de Artur Jorge, o "treinador-poeta", no banco de um FC Porto apostado em interromper um ciclo de cinco anos sem ser campeão. Numa equipa que passou a contar com o talento de Paulo Futre, o jovem prodígio contratado ao Sporting, Fernando Gomes esteve demolidor e marcou nada mais nada menos do que 39 golos em 30 jornadas, sagrando-se pela 2ª vez Bota de Ouro (e ganhando assim o cognome de "Bibota").
A superioridade evidenciada pelos azuis e brancos ao longo da época foi inequívoca. O FC Porto que cedeu apenas 5 pontos em toda a prova (quando a vitória ainda valia 2 pontos), garantiu a conquista do título à 27ª jornada após uma goleada ao Belenenses nas Antas por 5-1, deixando no final o Sporting a 8 pontos e o Benfica a 12. A eliminação com o Wrexham na 1ª eliminatória da Taça das Taças foi o ponto negativo da temporada. Os portistas foram eliminados com os galeses depois de uma vitória em casa por 4-3, com uma exibição infeliz do guarda redes jugoslavo Borota (que estava a substituír o castigado Zé Beto), quando na 1ª mão tinham perdido no País da Gales por 1-0.
Entretanto a rivalidade entre FC Porto e Benfica ia ganhando contornos significativos: os dragões conquistaram a Supertaça aos encarnados, numa prova decidida ao fim de quatro jogos, mas perderam na final da Taça no Jamor contra o rival da Luz (3-1).


Equipa-Tipo

Zé Beto
João Pinto
Lima Pereira
Eurico
Inácio
Frasco
Quim
Jaime Magalhães
Vermelhinho
Futre
Gomes
  
Treinador - Artur Jorge


Resumo:

1º Lugar - I Divisão 1984-1985

Vitórias - 26
Empates - 3
Derrotas - 1

Golos Marcados - 78
Golos Sofridos - 13




quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Taça UEFA 1994-1995: Sporting vs Real Madrid

         
                              

1ª Eliminatória (1ª Mão) - 13/09/1994

Real Madrid

Buyo, Quique Flores, Hierro, Sanchís, Milla, Míchel (Amavisca, 46'), Martín Vasquez, Michael Laudrup, Luis Enrique, Dubovsky (Sandro, 68'), Zamorano

Treinador - Jorge Valdano


Sporting

Lemajic, Nélson, Marco Aurélio, Valckx, Vujacic, Peixe (Capucho, 75'), Oceano, Carlos Xavier (Filipe, 70'), Figo, Sá Pinto, Juskowiak

Treinador - Carlos Queiróz


Golos: Martín Vasquez 1-0 (12')




1ª Eliminatória (2ª Mão) -  27/09/1994

Sporting

Lemajic, Nélson, Marco Aurélio, Valckx, Paulo Torres, Peixe, Oceano (Cadete, 72'), Balakov, Figo, Sá Pinto (Carlos Xavier, 62'), Juskowiak

Treinador - Carlos Queiróz


Real Madrid

Buyo, Quique Flores, Hierro, Sanchís, Alkorta (Milla, 46'), Lasa, Amavisca (Míchel, 59'), Michael Laudrup, Martín Vasquez, Luis Enrique, Zamorano


Treinador - Jorge Valdano


Golos: Sá Pinto 1-0 (3'); Michael Laudrup 1-1 (15'); Oceano 2-1 (31')



terça-feira, 8 de outubro de 2013

Sporting 1994-1995


Apesar de algumas saídas importantes no defeso, sobretudo a de Paulo Sousa para a Juventus, chegaram a Alvalade vários reforços de peso: o marroquino Naybet, Emmanuel Amunike ou Sá Pinto do Salgueiros, além do regresso de Oceano e Carlos Xavier, dois símbolos leoninos que estiveram 3 anos na Real Sociedad. A família sportinguista tinha razões para estar confiante pois o plantel da equipa era de grande valia (um dos melhores da década de noventa).
O Sporting entrou em grande estilo na época com oito vitórias nas primeiras nove jornadas do campeonato. Na Taça UEFA, a equipa leonina começou por discutir a 1ª eliminatória com o Real Madrid de Jorge Valdano. Os leões acabaram por ser eliminados, mas mereciam melhor sorte depois de terem dominado a equipa madrilena, tanto no jogo do Bernabéu como em Alvalade.
No Nacional da I Divisão os verde e brancos atingiram o 2º lugar, a sua melhor classificação desde 1984-85, num ano em que o FC Porto esteve imparável e sagrou-se campeão precisamente em Alvalade (1-0, golo de Domingos) a 3 jornadas do final.
Mas a fechar a época o Sporting teve um merecido prémio de consolação, quebrando mais um enguiço, depois de vencer no Jamor o Marítimo por 2-0, com dois golos de Iordanov e conquistar a 1ª Taça de Portugal desde 1982.


Equipa-Tipo:

Costinha
Nélson
Naybet
Marco Aurélio
Vujacic
Peixe
Oceano
Balakov
Figo
Amunike
Juskowiak

Treinador - Carlos Queiróz


Resumo:

2º Lugar - 1ª Divisão 1994-1995

Vitórias - 23
Empates - 9
Derrotas - 2

Golos Marcados - 59
Golos Sofridos - 21



sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Previsões para a 7ª Jornada da Liga Zon Sagres


Arouca vs FC Porto - 2
Académica vs Rio Ave - 1
Estoril vs Benfica - 2
V. Guimarães vs Marítimo - X
Nacional vs Sp. Braga - X
Belenenses vs Olhanense - 1
Sporting vs V. Setúbal - 1
Gil Vicente vs P. Ferreira - X


segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Belenenses 2004-2005


Estavam reunidas as condições para o Belenenses voltar a atacar a Europa, depois do descalabro que foi a época anterior, em que o espectro da descida de divisão esteve presente até à última jornada. No experiente plantel do "Belém" (última temporada de Wilson no escalão principal), qualidade não faltava. Sobretudo no sector ofensivo, onde o poder de fogo do gabonês Antchouet (marcou 12 golos) se evidenciou.
O ponto alto seria a goleada ao Benfica por 4-1 à 10ª jornada. Mas nem sempre o bom futebol, implementado por Carvalhal, se traduziu em resultados, pelo que o 9º lugar alcançado acabou por saber a pouco paras os azuis do Restelo.


Equipa-Tipo

Marco Aurélio
Amaral
Pelé
Wilson
Sousa
Andersson
José Pedro
Marco Paulo
Juninho Petrolina
Lourenço
Antchouet

Treinador - Carlos Carvalhal


Resumo:

9º Lugar - Superliga Galp Energia 2004-2005

Vitórias - 13
Empates - 7
Derrotas - 14

Golos Marcados - 38
Golos Sofridos - 34


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Previsões para a 6ª Jornada da Liga Zon Sagres


V. Setúbal vs Gil Vicente - 1
Académica vs Arouca - X
Marítimo vs P. Ferreira - 2
Olhanense vs Estoril - X
FC Porto vs V. Guimarães - 1
Rio Ave vs Nacional - 1
Benfica vs Belenenses - X
Sp. Braga vs Sporting - X


quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Farense 1992-1993


Com uma equipa constituída por estrangeiros de qualidade confirmada e jovens promessas portuguesas (onde se destacava Hugo), o Farense acabou por realizar mais uma boa temporada, depois de uma segunda volta de grande qualidade, repetindo o 6º lugar da época transacta. A turma de Paco Fortes chegou mesmo a estar muito próxima dos lugares que dão acesso às provas europeias até às últimas jornadas da competição. No sempre temível Estádio de S. Luís, os anfitriões estiveram imperiais. Nenhuma equipa conseguiu lá vencer os algarvios, incluindo o FC Porto que perdeu por 1-0, o Benfica e o Sporting (empataram 0-0).
Este foi o ano da estreia de Hassan Nader no futebol português, proveniente do Mallorca. O marroquino começou  a revelar os dotes que o tornaram num dos melhores avançados do campeonato, assim como uma figura de proa da história do clube algarvio.


Equipa-Tipo

José Carlos
Portela
Luisão
Jorge Soares
Miguel Serôdio
Sérgio Duarte
Hélder Baptista
Hugo
Hajry
Pitico
Djukic

Treinador - Paco Fortes


Resumo:

6º Lugar - I Divisão 1992-1993

Vitórias - 11
Empates - 13
Derrotas - 10

Golos Marcados - 41
Golos Sofridos - 36


sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Previsões para a 5ª Jornada da Liga Zon Sagres



Arouca vs Sp. Braga - X
Estoril vs FC Porto - 2
V. Guimarães vs Benfica - 2
Belenenses vs Marítimo - 1
Sporting vs Rio Ave - X
Gil Vicente vs Olhanense - X
Nacional vs Académica - 1
P. Ferreira vs V. Setúbal - 1


quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Liga dos Campeões 2005-2006: Benfica vs Liverpool



Benfica-1 Liverpool-0 de 2006 por MemoriaGloriosa 1

1/8 Final (1ª Mão) -  21/02/2006

Benfica

Moretto, Alcides, Anderson, Luisão, Léo (Ricardo Rocha, 87'), Beto (Karagounis, 58'), Petit, Manuel Fernandes, Simão, Laurent Robert (Nélson, 77'), Nuno Gomes

Treinador - Ronald Koeman


Liverpool

Reina, Finnan, Hyypiä, John Arne Riise, Carragher, Kewell, Xabi Alonso, Sissoko (Hamman, 35'), Luis Garcia, Fowler (Djibril Cissé, 66'), Morientes (Gerrard, 78')

Treinador - Rafael Benítez


Golos: Luisão 1-0 (84 ')



2006 (March 8) Liverpool (England) 0-Benfica... por sp1873

1/8 Final (2ª Mão) - 08/03/2006

Liverpool

Reina, Finnan, Traoré, Carragher, Warnock (Hamann, 70'), Kewell (Djibril Cissé, 63'), Gerrard, Xabi Alonso, Luis Garcia, Crouch, Morientes (Fowler, 70')

Treinador - Rafael Benítez


Benfica

Moretto, Alcides, Luisão, Anderson, Léo, Manuel Fernandes, Beto, Laurent Robert (Ricardo Rocha, 70'), Geovanni (Karagounis, 60'), Simão, Nuno Gomes (Miccoli, 77')

Treinador - Ronald Koeman


Golos: Simão 0-1 (36'); Miccoli 0-2 (89')




quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Benfica 2005-2006


Ronald Koeman chegou ao banco do Benfica, sucedendo a Giovanni Trapattoni, o italiano que quebrou o jejum de 11 anos sem campeonatos dos encarnados. Durante o Verão o plantel dos campeões nacionais não sofreu alterações de grande relevo, à excepção da venda de Miguel ao Valência. Em termos de aquisições, destaque para o avançado italiano Miccoli e o lateral esquerdo brasileiro Léo, além da conturbada transferência do guarda-redes Moretto a meio da época, proveniente do V. Setúbal.
Depois da Supertaça conquistada no Estádio Algarve ao V. Setúbal, o Benfica iniciou o campeonato de forma desastrada com duas derrotas e um empate nos três primeiros jogos. Apesar da vitória no Dragão (2-0) à 7ª jornada (15 anos depois da ultima vitória no estádio do rival portista), o Benfica acabou por realizar um campeonato muito irregular. Mas na Europa a história foi diferente, onde as águias tiveram uma das suas melhores prestações na Liga dos Campeões (desde que o formato foi introduzido). Depois de ter batido o Manchester Utd na última jornada da fase de grupos, eliminando os "Red Devils" da prova, o Benfica eliminou o Liverpool nos Oitavos de Final, com uma histórica vitória em Anfield Road por 2-0, apenas sendo eliminado nos Quartos pelo poderoso Barcelona de Ronaldinho e Deco.
Cedo se percebeu que a equipa era curta para as duas competições. No campeonato, depois de ter estado algumas jornadas a relativa distância do líder, os encarnados terminaram na 3ª posição a 12 pontos do campeão FC Porto e a 7 do Sporting.


Equipa-Tipo

Moretto
Ricardo Rocha
Luisão
Anderson
Léo
Beto
Petit
Manuel Fernandes
Geovanni
Simão
Nuno Gomes

Treinador - Ronald Koeman


Resumo:

3ºLugar - Liga bet&win.com 2005-2006

Vitórias - 20
Empates - 7
Derrotas - 7

Golos Marcados - 51
Golos Sofridos - 29



sábado, 14 de setembro de 2013

Previsões para a 4ª Jornada da Liga Zon Sagres



Académica vs Belenenses - X
V. Setúbal vs Marítimo - X
FC Porto vs Gil Vicente - 1
Nacional vs Arouca - X
Benfica vs P. Ferreira - 1
Sp. Braga vs Estoril - 1
Rio Ave vs V. Guimarães - 1
Olhanense vs Sporting - 2


quinta-feira, 6 de junho de 2013

Real Madrid 2000-2001


Com a chegada de Florentino Peréz à presidência do Real Madrid no começo da temporada e consequente implementação de uma política de contratações milionárias, deu-se início à era dos "Galáticos" no Santiago Bernabéu. Luís Figo tornou-se no primeiro "galáctico" do novo presidente, contratado ao arqui-rival Barcelona, naquela que ainda hoje é considerada como uma das transferências mais mediáticas (e polémicas) do futebol mundial.
O campeão europeu iniciou a época perdendo de forma surpreendente a Supertaça Europeia para o Galatasaray de Hagi e Jardel. Na noite do grande clássico entre o Barça e o Real jogado no Camp Nou, Figo não se livrou de um ambiente de hostilidade extrema, acabando os catalães por vencer 2-0. Apesar de tudo, na Liga espanhola os merengues rubricaram uma excelente campanha pautada pela regularidade e consistência exibicional.  Guti, que realizou a sua melhor época ao serviço do Real, e outras estrelas como Raúl ("Pichichi" da liga com 24 golos), um ainda jovem Iker Casillas e o próprio Figo estiveram em grande plano, ajudando os madrilenos a vencer o campeonato sem contestação com 7 pontos de avanço sobre o Deportivo da Corunha. Por seu turno o Barcelona terminaria no 4º lugar a... 17 pontos do rival.


Equipa-Tipo

Casillas
Michel Salgado
Karanka
Hierro
Roberto Carlos
Ivan Helguera
Makelele
Guti
Luís Figo
McManaman
Raúl

Treinador - Vicente del Bosque


Resumo:

1º Lugar - I Liga Espanhola 2000-2001

Vitórias - 24
Empates - 8
Derrotas - 6
Golos Marcados - 81
Golos Sofridos - 40



sábado, 25 de maio de 2013

Final da Taça de Portugal 1995-1996: Benfica vs Sporting



FINAL - 18/05/1996

Benfica

Preud' Homme
Kenedy (Iliev, 85')
Hélder
Ricardo Gomes
Dimas
Paulo Bento
Calado
Bruno Caires (Marcelo, 89')
Valdo
João V. Pinto
Mauro Airez (Paredão, 83')

Treinador - Mário Wilson


Sporting

Costinha
Nelson
Naybet
Marco Aurélio
Pedro Martins (Carlos Xavier, 65')
Vidigal
Luís Miguel
Afonso Martins
Peixe (Paulo Alves, 34')
Sá Pinto
Iordanov (Dominguez, 45')

Treinador - Octávio Machado


Golos: 1-0 Mauro Airez (9'); 2-0 João V. Pinto (39'); 3-0 João V. Pinto (67'); 3-1 Carlos Xavier (83')


sexta-feira, 24 de maio de 2013

Benfica 1995-1996


Depois de uma época fracassada sem quaisquer títulos, Artur Jorge deu início a uma autêntica revolução no plantel benfiquista. A saída de algumas figuras como Vítor Paneira, Isaías ou Abel Xavier e a contratação de um número absurdo de jogadores (muitos dos quais revelar-se-iam ser de qualidade duvidosa) não fazia augurar um futuro radioso para o clube da Luz.
Artur Jorge já sem grande margem de manobra durou apenas três jornadas, dando o seu lugar ao veterano e carismático Mário Wilson. O FC Porto cedo se mostrou um adversário demasiado forte no campeonato, sagrando-se campeão com 11 pontos de avanço sobre os encarnados. A vitória na final da Taça de Portugal sobre o eterno rival Sporting por 3-1, apesar de assombrada pela morte de um adepto sportinguista provocada pelo lançamento de um very-light, salvou a honra de uma equipa entretanto já mergulhada numa crise futebolístico-financeira sem precedentes na sua história.


Equipa-Tipo

Preud'Homme
Marinho
Ricardo Gomes
Hélder
Pedro Henriques
Paulo Bento
Dimas
Valdo
João V. Pinto
Iliev
Marcelo

Treinadores - Artur Jorge (até à 3ª jornada) / Mário Wilson


Resumo:

2º Lugar - I Divisão 1995-1996

Vitórias - 22
Empates - 7
Derrotas - 5
Golos Marcados - 57
Golos Sofridos - 27



terça-feira, 16 de abril de 2013

Sp. Braga 2000-2001



Em Braga as expectativas eram altas pela qualidade do plantel e dos reforços que chegaram no defeso, entre eles os brasileiros Edmilson e Riva provenientes dos rivais do Minho, o V. Guimarães. A época iniciou-se de forma trágica com a morte de Pedro Lavoura num acidente de viação, ainda antes do início do campeonato.
Querendo homenagear o falecido colega com uma boa época, os jogadores bracarenses começaram a jogar com sede de vitória. A verdade é que até então poucas vezes se tinha visto um Braga tão forte e com futebol de tanta qualidade, tendo em conta a mediania com que a equipa tinha vindo a habituar o público nas épocas precedentes. Com efeito, os minhotos passaram quase três quartos da prova a exibirem-se a um grande nível chegando mesmo a intrometer-se na luta pelo título. Nos duelos com os candidatos ao primeiro posto: FC Porto, Sporting, Benfica e o Boavista (que se sagrou campeão de forma inédita), os arsenalistas foram implacáveis, vencendo todos os jogos à excepção das Antas (3-2) e da Luz (2-2). Mas a quebra no final do campeonato, com 5 derrotas em 7 jogos foi fatal à equipa de Manuel Cajuda, que ainda assim levou o Sp. Braga à sua melhor classificação (até essa época), o 4º lugar, tal como tinha feito quatro anos antes.


Equipa-Tipo

Quim
José Nuno Azevedo
Odaír
Artur Jorge
Andrade
Castanheira
Barroso
Luís Filipe
Edmilson
Riva
Féher

Treinador - Manuel Cajuda


Resumo:

4º Lugar - I Liga 2000-2001

Vitórias - 16
Empates - 9
Derrotas - 9
Golos Marcados - 58
Golos Sofridos - 48



sábado, 13 de abril de 2013

Final da Taça de Portugal 1993-1994: FC Porto vs Sporting



FINAL - 05/06/1994

FC Porto

Vítor Baía, Rui Jorge, Fernando Couto, Aloísio, João Pinto, André (Rui Filipe, 87'), Paulinho Santos, Timofte (Jorge Couto, 87'), Secretário, Drulovic, Folha

Treinador - Bobby Robson


Sporting

Lemajic, Nelson, Valckx, Vujacic, Paulo Torres, Paulo Sousa, Peixe (Marinho, 78'), Figo, Capucho, Pacheco (Poejo, 87'), Juskowiak

Treinador - Carlos Queiróz


Golos: Nada a registar




FINALÍSSIMA - 10/06/1994

FC Porto

Vítor Baía, João Pinto, Aloísio, Fernando Couto, Rui Jorge, André, Paulinho Santos, Secretário, Timofte, Drulovic, Folha

Treinador - Bobby Robson


Sporting

Lemajic, Nelson, Vujacic (Carlos Jorge, 67'), Paulo Torres (Marinho, 65'), Poejo, Peixe, Paulo Sousa, Figo, Capucho, Pacheco, Cadete

Treinador - Carlos Queiróz


Golos: 1-0 Rui Jorge (35'); 1-1 Vujacic (55'); 2-1 Aloísio (91')



sexta-feira, 12 de abril de 2013

FC Porto 1993-1994


O início de campeonato periclitante do bi-campeão FC Porto fez antever uma prova difícil, o que de facto se veio a verificar. Tomislav Ivic, o treinador dos dragões na fantástica época de 1987-88, não foi feliz na sua segunda passagem pelas Antas e saiu ao meio da temporada. A aposta de Pinto da Costa recaiu então em Bobby Robson, que tinha sido despedido do Sporting por Sousa Cintra pouco tempo antes.
O campeonato acabou por ser conquistado pelo Benfica, mas na Champions o FC Porto fez uma campanha notável, onde se destacou a estrondosa goleada na Alemanha aplicada ao Werder Bremen por 5-0 ! Nas meias finais os portistas foram afastados pelo Barcelona de Cruyff, numa estranha eliminatória disputada em apenas uma mão no Camp Nou (3-0).
No culminar da época, Robson consumou a sua vingança vencendo a Taça de Portugal ao... Sporting, numa edição em que se teve de recorrer a uma (conturbada) Finalíssima.


Equipa-Tipo

Vítor Baía
João Pinto
Aloísio
Fernando Couto
Rui Jorge
André
Paulinho Santos
Semedo
Timofte
Secretário
Kostadinov

Treinadores - Tomislav Ivic (até à 17ª jornada) / Bobby Robson


Resumo:

2º Lugar - I Divisão 1993-94

Vitórias - 21
Empates - 10
Derrotas - 3
Golos Marcados - 56
Golos Sofridos - 15



sábado, 6 de abril de 2013

Supertaça Europeia 1997-1998: Barcelona vs Borussia Dortmund


1ª Mão (08/01/1998)

Barcelona

Hesp, Ferrer, Reiziger, Bogarde (Abelardo, 70'), Sergi, Celades, De La Peña, Figo (Stoichkov, 86'), Luis Enrique, Rivaldo (Giovanni, 86'), Sonny Anderson

Treinador - Louis Van Gaal


Bor. Dortmund

Klos, Schneider (Reinhardt, 46'), Kree, Heinrich, Binz, Freund, Ricken, But (Zorc, 77'), Tanko (Chapuisat, 58'), Decheiver, Kirovski

Treinador - Nevio Scala


Golos: 1-0  Luis Enrique ( 8'); 2-0 Rivaldo (61')






2ª Mão (11/03/1998)

Bor. Dortmund

Klos, Binz, Schneider, Jürgen Kohler (Kirovski, 73'), Heinrich, Kree, Freund (Mehnert, 20'), Ricken, Zorc, Decheiver, Chapuisat (Gambo, 46')

Treinador - Nevio Scala


Barcelona

Hesp, Ferrer, Bogarde, Nadal, Sergi, Celades (Amor,79'), Luis Enrique (Ciric, 89'), Giovanni, Figo, Rivaldo, Sonny Anderson (Oscar Garcia, 71')

Treinador - Louis Van Gaal


Golos: 0-1 Giovanni ( 8'); 1-1 Heinrich (64')



sexta-feira, 5 de abril de 2013

FC Barcelona 1997-1998


Com os jogadores portugueses Luís Figo, Vítor Baía e Fernando Couto no plantel, o Barcelona voltou a conquistar o título de campeão espanhol, algo que não sucedia desde a época 1993-1994. O Barça ganhou igualmente a Taça do Rei, vencendo na final o Mallorca nos penalties, e a Supertaça Europeia ao Borussia Dortmund. Uma época formidável, não fosse a desastrosa carreira na Champions, onde os catalães não passaram da 1ª fase, tendo inclusive sido goleados no duplo confronto com o Dínamo Kiev (0-4 no Camp Nou e 0-3 em Kiev).
Louis Van Gaal na sua primeira época no banco blaugrana, começou a criar uma armada de jogadores holandeses, contratando três jogadores compatriotas: Reiziger, Bogarde e Ruud Hesp (guarda-redes que roubou titularidade a Baía). Durante o defeso chegou também Rivaldo, proveninente do Deportivo, que começava desde logo a maravilhar o publico do Camp Nou com o seu magnífico pé esquerdo, tendo sido o melhor marcador da equipa com 19 golos.
Apesar de todas as críticas ao longo a temporada (a maioria das quais a Van Gaal), o Barcelona conquistou a liga espanhola a quatro jornadas do fim, terminando a prova a com 9 pontos de vantagem sobre o segundo, Athletic de Bilbao.


Equipa-Tipo

Ruud Hesp
Ferrer
Reiziger
Bogarde
Sergi
Celades
Figo
Giovanni
Rivaldo
Luis Enrique
Sonny Anderson

Treinador - Louis Van Gaal


Resumo:

1º Lugar - I Liga Espanhola 1997-1998

Vitórias - 23
Empates - 5
Derrotas - 10
Golos Marcados - 78
Golos Sofridos - 56



quarta-feira, 13 de março de 2013

Taça UEFA 1986-1987: V. Guimarães vs Atl. Madrid


2ª Eliminatória - 1ª Mão (22/10/1986)

V. Guimarães

Jesus, Costeado, Miguel, Tozé, Carvalho, Nascimento, Adão, N'Kama (N'Dinga, 81'), Ademir Alcântara, Roldão, Paulinho Cascavel

Treinador - Marinho Peres


Atl. Madrid

Agustin Elduayen, Miguel A. Ruiz, Rodolfo, Clemente, Tomás, Julio Preto, Landaburu, Roberto Marina, Quique Ramos, Jorge da Silva, Julio Salinas

Treinador - Vicente Miera


Golos: 1-0 Paulinho Cascavel (46'); 2-0 Roldão (90')




2ª Eliminatória - 2ª Mão (5/11/1986)

Atl. Madrid

Agustin Elduayen, Miguel A. Ruiz, Arteche, Bilbao (Prieto, 71'), Setién (Rubio, 60'), Roberto Marina, Landaburu, Jorge da Silva, Uralde, Llorente

Treinador - Vicente Miera


V. Guimarães

Jesus, Costeado, Nenê (Tozé, 55'), Miguel, Carvalho, N'Dinga, Nascimento (Rui Vieira, 55'), Adão, Ademir Alcântara, Roldão, Paulinho Cascavel


Treinador - Marinho Peres

 
Golos: 1-0 Jorge da Silva (90')



segunda-feira, 11 de março de 2013

V. Guimarães 1986-1987


Esta é considerada por muitos, como uma das melhoras temporadas da história do V. Guimarães. O treinador brasileiro Marinho Peres no seu primeiro ano em Portugal, implantou um modelo de jogo inspirado nas ideias do holandês Rinus Michels, de quem foi jogador no Barcelona. À sua disposição tinha um plantel recheado de jogadores de grande classe, como o zairense N'Dinga, Ademir Alcântara ou o mortífero goleador Paulinho Cascavel. O resultado foi um Vitória a praticar um futebol de grande qualidade e consistência, que chegou a intrometer-se na luta pelo título durante boa parte do campeonato, e que brilhou na Taça UEFA.
Naquela que foi a sua melhor campanha europeia de sempre, o Vitória eliminou equipas como o Sparta de Praga, Atletico de Madrid e Groningen, caindo só nos Quartos de Final aos pés dos alemães do Borussia M'Gladbach. Em território nacional, depois de realizarem uma primeira volta de luxo (apenas uma derrota), a equipa vimaranense terminou o campeonato no 3º lugar atrás de FC Porto e Benfica, culminando assim um ano sensacional.


Equipa-Tipo

Jesus
Costeado
Nenê
Miguel
Carvalho
Nascimento
N'Dinga
Ademir
Adão
Roldão
Paulinho Cascavel

Treinador - Marinho Peres


Resumo:

3º Lugar - I Divisão 1986-87

Vitórias - 14
Empates - 13
Derrotas - 3
Golos Marcados - 45
Golos Sofridos - 22


Percurso na Taça UEFA:

1ª Eliminatória - Sparta Praga 1-1 V. Guimarães
                             V. Guimarães 2-1 Sparta Praga

2ª Eliminatória - V. Guimarães 2-0 Atl. Madrid
                              Atl. Madrid 1-0 V. Guimarães

3ª Eliminatória - Groningen 1-0 V. Guimarães
                             V. Guimarães 3-0 Groningen

Quartos de Final - Bor. M'Gladbach 3-0 V. Guimarães
                                V. Guimarães 2-2 Bor. M'Gladbach


segunda-feira, 4 de março de 2013

Rio Ave 1996-1997


Quando à 13ª jornada, Henrique Calisto abandonou o comando técnico do Rio Ave para dar o lugar ao seu adjunto Carlos Brito, os vilacondenses pareciam moribundos no último lugar da tabela. Dois empates e onze derrotas pareciam condenar irremediavelmente a equipa à descida. O que se passou de seguida foi uma das recuperações mais notáveis de que há memória. Numa segunda volta espectacular a equipa obteve 28 pontos (tinha feito 7 na 1ª volta) e perdeu apenas três vezes, conseguindo assim o milagre da salvação.
Ausente da I Divisão desde 1987-88, o Rio Ave acabaria por manter-se mais três épocas nos "grandes palcos" sempre com Carlos Brito no banco, sendo ele actualmente o treinador com mais jogos pelo clube de Vila de Conde, no escalão principal.


Equipa-Tipo

Nélson
Nenad
Marcos
Peu
Nito
Martins
Paulo Lima Pereira
Sérgio China
Baíca
Dibo
Gama

Treinador - Carlos Brito


Resumo:

15º lugar - I Divisão 1996-1997

Vitórias - 8
Empates - 11
Derrotas - 15
Golos Marcados - 35
Golos Sofridos - 42



segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

I Liga 1999-2000: Salgueiros vs Sporting


34ª Jornada - 14/05/2000

Salgueiros

Jorge Silva
Pedro Reis (Panduru, 76')
Paulinho
Neves (João Pedro, 57')
Ricardo Fernandes
Rui Ferreira
Pedrosa (Ramos, 69')
André Macanga
Carlos Ferreira
Paquito
Féher

Treinador - Vítor Manuel


Sporting

Schmeichel
Quiroga
Saber
Rui Jorge
André Cruz
Duscher
Pedro Barbosa (Bino, 81')
Vidigal
De Franceschi (Mpenza, 66')
Acosta
Ayew (Toñito, 73')

Treinador - Augusto Inácio


Golos: 0-1 André Cruz (47'); 0-2 Ayew (51'); Duscher (75'); 0-4 André Cruz (88')




sábado, 23 de fevereiro de 2013

Sporting 1999-2000


Depois de uma década marcada por desilusões constantes durante a qual apenas havia conquistado uma Taça de Portugal e uma Supertaça, o Sporting partia para o novo milénio com esperança renovada e decidido em inverter o rumo da sua já longa crise desportiva (17 anos sem vencer o campeonato). A pré-época começou com a chegada mediática da vedeta dinamarquesa do Manchester Utd, Peter Schmeichel. Pouco tempo depois, Simão Sabrosa foi vendido ao Barcelona, garantindo uma verba importante para os leões em termos financeiros, naquela que foi a transferência mais cara do futebol português até essa época (14 milhões de euros).
O treinador italiano Giuseppe Materazzi não começou bem a época e saiu logo à 5ª jornada depois de alguns empates, com uma derrota pelo meio contra o Vicking na Taça UEFA por 3-0. Foi com Augusto Inácio que os leões começaram a adquirir espírito de campeão, demonstrando uma grande união e força colectiva como há muito não se via. O mercado de Dezembro também foi bastante proveitoso com a vinda de dois grandes reforços: André Cruz e César Prates. Estes juntaram-se a um plantel com a confiança em alta, sobretudo o argentino Beto Acosta que mostrou uma veia goleadora apurada (22 golos no final). Após os sucessivos deslizes do principal candidato ao título, o pentacampeão FC Porto, a equipa leonina acabou por atingir o primeiro lugar (que não mais largou), após uma vitória em casa contra os dragões (2-0).
O tão ansiado título, que teve tanto de surpreendente como merecido, chegou a Alvalade na última jornada após uma goleada em Paranhos contra o Salgueiros, quebrando um jejum de 18 anos, o mais longo da história do Sporting, assim como a hegemonia do FC Porto.


Equipa-Tipo

Schmeichel
Saber
Beto
André Cruz
Rui Jorge
Vidigal
Duscher
De Franceschi
Pedro Barbosa
Ayew
Acosta

Treinador - Giuseppe Materazzi (até à 5ª jornada) / Augusto Inácio


Resumo:

1º Lugar - I Liga 1999-2000

Vitórias - 23
Empates - 8
Derrotas - 3
Golos Marcados - 57
Golos Sofridos - 22




segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

URSS no Mundial de 1986


Uma semana antes da selecção soviética partir para o México rumo ao Campeonato do Mundo, o seu seleccionador Eduard Malofeyev era despedido devido aos maus resultados em jogos particulares, mesmo depois de ter qualificado a equipa para o grande evento. Seria substituído por Valeriy Lobanovskiy, então treinador do Dinamo Kiev, que passava a acumular as duas funções. O lendário treinador soviético, conhecido pela disciplina férrea que impunha aos jogadores e pelos métodos de trabalhos científicos, iniciava a sua terceira e última passagem pela selecção da União Soviética. Esta viria a revelar-se a mais bem sucedida da carreira.
De facto, a aposta em Lobanovskiy tinha a sua lógica, pois a maioria dos jogadores soviéticos  jogavam no Dinamo de Kiev, constituindo a espinha dorsal da selecção, onde pontificavam estrelas como Zavarov ou o goleador Igor Belanov. Depois de uma grande fase de grupos concluída no primeiro lugar, provando ser uma equipa de respeito, os soviéticos baquearam nos oitavos de final perante uma Bélgica atrevida (na altura conhecidos como "Diabos Vermelhos"), num dos mais intensos jogos da prova.
Apesar da eliminação prematura, Lobanovskiy começava a olear a "máquina" soviética que iria deixar a sua marca no Campeonato Europeu dois anos depois.


Equipa-Tipo

Dasaev
Bezsonov
Demyanenko
Kuznetsov
Andriy Bal
Yaremchuk
Vasyl Rats
Yakovenko
Aleinikov
Zavarov
Belanov

Seleccionador - Valeriy Lobanovskiy


Resumo:

Mundial 1986

Fase de Grupos (1º lugar do grupo C com 5 pontos)

URSS 6-0 Hungria
URSS 1-1 França
URSS 2-0 Canadá

1/8 Final - Bélgica 4-3 URSS (após prolongamento)

Vitórias - 2
Empates - 1
Derrotas - 1
Golos Marcados - 12
Golos Sofridos - 5



segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Farense 1970-1971


Época da estreia do histórico clube do Algarve na I divisão sob o comando de Manuel de Oliveira, um treinador de grande sabedoria táctica, já na altura conhecido pelo excelente trabalho realizado em equipas como a CUF e o Barreirense.
Os algarvios começaram muito bem o campeonato chegando mesmo a ser uma das surpresas da prova, mas depois de uma 2ª volta sem vitórias, o Farense acabou por ficar no 11º posto da tabela.
Para a história ficaram as vitórias caseiras sobre o Benfica e o FC Porto. O Estádio de S. Luís começou desde logo a perfilar-se como um campo difícil para os "grandes".


Equipa-Tipo

Barroca
Assis
Atraca
Bastos
Sitoe
Dani Silva
Ferreira Pinto
Nunes
Waldir
Correia
Ernesto

Treinador - Manuel de Oliveira


Resumo:

11º Lugar - I Divisão 1970-1971

Vitórias - 7
Empates - 6
Derrotas - 13
Golos Marcados - 15
Golos Sofridos - 33


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Campomaiorense 1997-1998


Após uma época na II Divisão de Honra, o Campomaiorense regressava ao convívio dos grandes, dois anos depois da sua estreia absoluta no escalão principal do futebol português. Desta feita os alentejanos pretendiam afirmar-se definitivamente como uma equipa primodivionária. O começo não foi feliz e após 7 jornadas o treinador Bernardino Pedroto saía do clube, entrando para o seu lugar João Alves. Uma aposta que veio a revelar-se certeira, pois a equipa não só começou a ganhar, alcançando rapidamente uma posição tranquila na tabela, como a realizar exibições agradáveis.
O Campomaiorense acabou por realizar a sua melhor prestação até hoje na I divisão terminando no 11º lugar. Mas o que mais impressionou talvez tenha sido o numero de golos marcados pela equipa (53), um feito notável tendo em conta os modestos objectivos do clube alentejano. Para isso muito contribui a antiga estrela do Benfica Isaías, autor de 14 golos, mesmo em final de carreira a mostrar que o seu pé esquerdo ainda estava bem quente.


Equipa-Tipo

Paulo Sérgio
Basílio
Jorge Ferreira
Luís Miguel
Joel
Nuno Luís
Sousa
Vítor Manuel
Laelson
Jorginho
Isaías

Treinadores - Bernardino Pedroto (até à 7ª jornada) / João Alves


Resumo:

11º Lugar - I Divisão 1997-1998

Vitórias - 11
Empates - 7
Derrotas - 16
Golos Marcados - 53
Golos Sofridos - 58



quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Benfica 1988-1989


Com a final europeia de Estugarda ainda fresca na memória, o Benfica iniciava a época apostado em recuperar a hegemonia nacional, entretanto posta em causa por um FC Porto que começava a afirmar-se a nível europeu e mundial. A rivalidade com o clube portista atingira o auge, com a saída de Dito e Rui Águas para as Antas durante o defeso, num processo polémico que fez correr muita tinta. Apesar de tudo o Benfica contaria com a aquisição de dois reforços de luxo: o defesa-central Ricardo Gomes e o médio criativo Valdo, ambos internacionais brasileiros. Depois da contratação de Mozer na época anterior, os encarnados passavam assim a dispor da dupla de centrais da selecção do Brasil, garantindo uma grande consistência defensiva à equipa (15 golos sofridos em 38 partidas do campeonato). Valdo era um nº10 dotado de uma técnica individual e visão de jogo muito acima da média. Por ele passava toda a manobra do jogo ofensivo benfiquista. A maior revelação seria o angolano Vata com 16 golos marcados que acabou por ser o melhor marcador do campeonato. Um jogador que viria a dar muito que falar na temporada seguinte, nomeadamente na célebre final de Viena...
O Benfica sagrou-se campeão nacional efectuando um campeonato bastante regular (ainda que com algumas vitórias obtidas nos últimos minutos), terminando a prova com 7 pontos de vantagem sobre o FC Porto e 14 sobre o Boavista. O desempenho europeu foi algo desapontante com eliminação logo na 2ª eliminatória da Taça UEFA às mãos dos belgas do FC Liège. Na final da taça de Portugal no Jamor o Benfica perderia com um surpreendente Belenenses por 2-1.


Equipa Tipo

Silvino
Veloso
Ricardo Gomes
Mozer
Fonseca
Valdo
Vítor Paneira
Pacheco
Abel Campos
Vata
Magnusson

Treinador - Toni


Resumo:

1º Lugar - I Divisão 1988-1989

Vitórias - 27
Empates - 9
Derrotas - 2
Golos Marcados - 60
Golos Sofridos - 15




terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Taça UEFA 1991-1992: Boavista vs Inter de Milão



1ª Eliminatória (1ª Mão) - 18/09/1991

Boavista

Pudar, Paulo Sousa, Barny, Samuel, Fernando Mendes, Nogueira, Casaca, Nelo (Coelho, 73'), João V. Pinto , Marlon Brandão, Ricky (Edward, 73')

Treinador - Manuel José


Inter

Zenga, Bergomi, Battistini, Montanari, Ferri (Fontolan, 52'), Brehme, Dino Baggio, Fausto Pizzi, Matthäus, Desideri (Berti, 46'), Ciocci

Treinador - Corrado Orrico


Golos: 1-0 Marlon Brandão (38'); 2-0 Barny (57'); 2-1 Fontolan (67')




1ª Eliminatória (2ª Mão) - 02/10/1991

Inter

Zenga, Bergomi, Paganin, Ferri (Fontolan, 57'), Brehme, Bianchi, Berti, Matthäus (Dino Baggio, 89'), Desideri, Ciocci, Klinsmann

Treinador - Corrado Orrico


Boavista

Pudar, Samuel, Paulo Sousa, Nogueira, Fernando Mendes, Barny, Nelo, Casaca, Marlon Brandão, João V. Pinto, Coelho

Treinador - Manuel José


Golos: Nada a registar




domingo, 27 de janeiro de 2013

Boavista 1991-1992


Ano memorável para os axadrezados em todas as frentes: 3º lugar no campeonato (sem derrotas em casa), conquista da Taça de Portugal (a 4ª do Boavista) frente ao FC Porto e eliminação do poderoso Inter de Milão na Taça UEFA. Esta foi também a primeira de cinco épocas de Manuel José no comando do clube do Bessa. E que estreia !
Nesta equipa de jogadores combativos, sobressaia o virtuosismo de um menino prodígio de seu nome João Vieira Pinto, que após um ano pouco feliz em Espanha regressara ao Bessa para rubricar uma época brilhante. Estava claro que se tratava de uma questão de tempo, até a jovem estrela se transferir para um clube com outras ambições. Seria na época seguinte e para o Benfica. Já o nigeriano Ricky sagrou-se o melhor marcador do campeonato com uns impressionantes 30 golos, sendo esta a primeira e única vez que um jogador do Boavista alcançou essa façanha.
Resumindo, pode-se considerar como uma das melhores épocas da história dos axadrezados, ainda no início de uma década de boa memória para o clube.


Equipa-Tipo

Pudar
Paulo Sousa
Samuel
Barny
Fernando Mendes
Casaca
Bobó
Tavares
Nelo
João V. Pinto
Ricky

Treinador - Manuel José


Percurso do vencedor da Taça de Portugal:

4ª Eliminatória - Boavista 2-0 Lusitânia Lourosa
5ª Eliminatória - Boavista 3-1 U. Madeira
1/8 de Final - Boavista 3-0 Freamunde
1/4 de Final - Boavista 1-0 Gil Vicente
1/2 Finais - Benfica 1-2 Boavista
Final - Boavista 2-1 FCPorto


Resumo:

3º Lugar - I Divisão 1991-1992

Vitórias - 16
Empates - 12
Derrotas - 6
Golos Marcados - 45
Golos Sofridos - 27


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Mundial de 1998: Espanha vs Nigéria



Fase de Grupos (Grupo D) - 13/06/1998

Espanha

Zubizarreta
Ferrer (Amor, 45')
Alkorta
Hierro
Sergi
Iván Campo
Nadal (Celades, 77')
Luis Enrique
Raúl
Alfonso (Etxeberria, 58')
Kiko

Seleccionador - Javier Clemente


Nigéria

Rufai
Oparaku (Yekini, 70')

Babayaro

Okechukwu

Taribo West

Mutiu Adepoju

Jay-Jay Okocha

Garba Lawal (G. Okpara, 93')

Oliseh


Finidi

Ikpeba (Babangida, 83')

Seleccionador - Bora Milutinovic


Golos: 1-0 Hierro (21'); 1-1 Adepoju (25'); 2-1 Raúl(47'); 2-2 Lawal (73') 2-3 Oliseh (78')




Nigéria no Mundial de 1998


A Nigéria tinha chegado ao Campeonato do Mundo em França, cotada como uma das selecções africanas mais talentosas que haviam chegado a uma fase final da competição. Os Super Eagles tinham de facto razões para sonharem com altos voos, pois vários dos jogadores seleccionados pelo sérvio Milutinovic, ou tinham conquistado o título olímpico Atlanta dois anos antes, ou contavam com a experiência em 1994 no Mundial dos Estados Unidos.
O começo foi espectacular com uma vitória por 3-2 contra a Espanha, uma das selecções favoritas a ganhar o Mundial. Seguiu-se uma vitória contra a Bulgária e consequente apuramento para os Oitavos de Final. Apesar de já qualificados, no último jogo do grupo os nigerianos davam os primeiros sinais de que algo não estava bem, ao perderem com o Paraguai por 3-1. O jogo com a Dinamarca nos oitavos veio por a nu as deficiências da equipa nigeriana, batida de forma estranhamente fácil pelo nórdicos (4-1). O maior problema da Nigéria durante a prova acabou por ser o mesmo de tantas outras equipas africanas em Mundiais anteriores: as fragilidades defensivas e pouca maturidade táctica. Isto aliado ao estilo atacante em demasia adoptado por Milutinovic (jogando a maior parte das vezes com 3 defesas) que veio a revelar-se fatal para as aspirações da equipa.
Para a história fica sem dúvida a ambição e todo o talento que se consegui reunir numa só selecção, chegando-se a acreditar que era desta que uma selecção de África iria atingir o topo futebol mundial.


Equipa-Tipo

Rufai
Babayaro
Okechukwu
Taribo West
Oliseh
Garba Lawal
Mutiu Adepoju
Jay-Jay Okocha
Kanu
Finidi
Ikpeba

Seleccionador - Bora Milutinovic


Resumo:

Mundial 1998

Fase de Grupos (1º lugar do grupo D com 6 pontos)

Nigéria 3-2 Espanha
Nigéria 1-0 Bulgária
Nigéria 1-3 Paraguai

1/8 de Final - Nigéria 1-4 Dinamarca

Vitórias - 2
Empates - 0
Derrotas - 2
Golos Marcados - 6
Golos Sofridos - 9


domingo, 20 de janeiro de 2013

FC Porto 1992-1993


Segunda temporada do brasileiro Carlos Alberto Silva como técnico do FC Porto e... segundo título de campeão conquistado. O campeonato do "bi" foi no entanto bem mais disputado que o da época anterior, numa luta cerrada quase até à ultima jornada entre FC Porto e Benfica. No final os portistas sagraram-se campeões com 2 pontos de vantagem sobre os encarnados e 9 sobre o Sporting.
A equipa titular dos dragões era praticamente a mesma de 1991-1992, composta por uma defesa seguríssima, a melhor da prova com 17 golos sofridos (Vítor Baía foi titular em todos os jogos do campeonato pela 4ª temporada consecutiva). Era aliás o ponto forte desta equipa, a sua segurança defensiva assim como a capacidade de sacrifício. Na frente de ataque mantinha-se a dupla habitual Domingos e Kostadinov, cada um com 9 golos marcados. Timofte, o romeno de um pé esquerdo fenomenal, foi o melhor marcador da equipa com 11 golos.
A meio da época seria disputada a Supertaça Cândido de Oliveira que o FC Porto perdeu contra o Boavista (1-2 nas Antas e 2-2 no Bessa). No que à Europa diz respeito, o FC Porto ficou-se pela fase de grupos na primeira edição da Liga dos Campeões, num grupo que tinha ainda AC Milan, PSV Eindhoven e IFK Gotemburgo.


Equipa-Tipo

Vítor Baía
João Pinto
Fernando Couto
Aloísio
Bandeirinha
André
Rui Filipe
Semedo
Jaime Magalhães
Domingos
Kostadinov

Treinador - Carlos Alberto Silva


Resumo:

1º Lugar - I Divisão 1992-1993

Vitórias - 24
Empates - 6
Derrotas - 4
Golos Marcados - 59
Golos Sofridos - 17




quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Final da Taça de Portugal 1989-1990: E. Amadora vs Farense



FINAL - 27/05/1990

E. Amadora

Melo, Rui Neves, Duílio, Pedro Barny, Caetano, Rebelo, Bóbó (Nélson Borges), Paulo Bento, Paulo Jorge (Ricardo Lopes), Basaúla, Baroti

Treinador - João Alves


Farense

Lemajic, Carlos Pereira (Ricardo), Marco, Sérgio Duarte, Eugénio, Pereirinha, Ademar, Formosinho (Mané), Nelo, Pitico, Fernando Cruz 

Treinador - Paco Fortes


Golos: 1-0 Nélson Borges (93') ; 1-1 Fernando Cruz (117')




FINALÍSSIMA - 03/06/1990

E. Amadora

Melo, Duílio, Rui Neves, Chico Oliveira, Pedro Barny, Bóbó, Rebelo, Paulo Bento, Nélson Borges (Elias), Ricardo Lopes (Jaime Cerqueira) e Baroti.

Treinador - João Alves


Farense

Lemajic, Carlos Pereira (Ricardo), Marco, Sérgio Duarte, Eugénio, Pereirinha, Ademar, Formosinho (Mané), Nelo, Pitico e Fernando Cruz

Treinador - Paco Fortes


Golos: 1-0 Paulo Bento (30'); 2-0 Ricardo Lopes (63')




segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Farense 1989-1990


Temporada histórica no S. Luís com a sensacional ida do Farense à Final da Taça de Portugal, sendo esta a primeira vez que uma equipa da II divisão atingia tal feito. À disposição de carismático treinador Paco Fortes, estavam já jogadores como Luisão, Sérgio Duarte ou Pitico, os quais revelar-se-iam fundamentais para as boas épocas do clube algarvio nos anos que se seguiram. Na Final do Jamor com o Estrela da Amadora registou-se uma igualdade a um golo, tendo havido lugar a uma Finalíssima, onde o Estrela foi mais forte a acabou por vencer por 2-0.
Nesta época o Farense subiria à I Divisão, iniciando na temporada seguinte o período de tempo mais longo da sua história enquanto equipa primodivisionária.



Percurso até à Final da Taça:

1ª Eliminatória - Farense 3-0 Portalegrense
2ª Eliminatória - Farense 3-2 Oliveirense

3ª Eliminatória - Odivelas 1-9 Farense
4ª Eliminatória - Farense 7-0 Esp. Lagos
1/8 de Final - Farense 2-0 U. Madeira (após 0-0 no 1º jogo no Funchal)
1/4 de Final - Farense 4-0 Valonguense
1/2 Finais - Belenenses 1-2 Farense



Resumo:

1º lugar - II Divisão Zona Sul 1989-1990

Vitórias - 24
Empates - 5
Derrotas - 4
Golos Marcados - 76
Golos Sofridos - 22